Garantido deixa funcionários efetivos sem pagamento nos últimos oito meses

“Estamos esperando vir a última parcela (de patrocínio), então não tem como quitar o que está devendo”, declarou o diretor financeiro Marcelino Menezes

Noticia Atualizada em 13/11/2017
Garantido deixa funcionários efetivos sem pagamento nos últimos oito meses
Foto: Reprodução da internet

Enquanto o presidente Fábio Cardoso ostenta sua fama de não medir esforços em promover gastos e efetivar contratos altíssimos, os funcionários efetivos do Boi Garantido amargam nada menos que oito meses sem receberem seus salários.

 

De acordo com um dos funcionários que pediu para não ter o nome divulgado, para tentar amenizar o sofrimento dos trabalhadores do vermelho e branco, na semana passada Fábio Cardoso liberou apenas um vale compras no valor de R$ 250,00.

 

Na reunião entre os funcionários efetivos e a nova diretoria do boi do povão, Fábio teria anunciado que haverá demissões de alguns trabalhadores do bumbá.

 

Os funcionários entendem essas demissões anunciadas por Fábio Cardoso como uma retaliação aos servidores que não acompanharam a candidatura da situação à presidência do bumbá.

 

Segundo o funcionário, são pelo menos 12 pessoas que prestam serviço para o Garantido com carteira assinada e que estão sem receber nos últimos oito meses.

 

A reportagem tentou ouvir Fábio Cardoso pelo número 991xx-8003, mas as chamadas não foram atendidas. Em contato com o diretor financeiro do bumbá, Marcelino Menezes, a reportagem foi informada que Cardoso estaria atrás de captar recursos para sanar as pendências com os funcionários, desmentindo demissões.

 

“A gente não está dando prazo justamente porque ele está correndo atrás de recursos e não tem previsão de demitir ninguém. Estamos esperando vir a última parcela (de patrocínio), então não tem como quitar o que está devendo”, declarou Marcelino.

 

Fernando Cardoso | Repórter Parintins