Fundações e Institutos se unem por internet nas escolas públicas

Organizações lançam petição para que o Governo Federal priorize a educação em nova política de conectividade

Noticia Atualizada em 10/11/2017
Fundações e Institutos se unem por internet nas escolas públicas
Foto: Divulgação

Ter internet rápida nas escolas públicas amplia o acesso ao conhecimento, permite que os alunos sejam protagonistas de seu aprendizado e reduz desigualdades entre estudantes de redes públicas e privadas. Mas apenas 4% das escolas públicas do Brasil têm acesso à internet com conexão de qualidade (fonte: TIC Educação 2015).

 

Por isso, Cieb, Ensina Brasil, Fundação Lemann, Instituto Península, Instituto Singularidades, ITS?Rio, Instituto Inspirare e Instituto Natura se uniram para mobilizar a sociedade e solicitar ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) que a educação seja priorizada em sua nova política de conectividade.

 

A proposta do MCTIC é expandir a banda larga no país, aumentando a conectividade em regiões onde a oferta ainda é limitada, cara ou de baixa qualidade. Reconhecendo a importância dessa iniciativa do governo, as organizações propõem em petição que o acesso à internet rápida beneficie, em primeiro lugar, as escolas públicas.

 

A petição pode ser acessada no link http://bit.ly/ConectarEscolas e pretende reunir no mínimo 10 mil assinaturas até o dia 17/11, data em que a consulta pública sobre a política do MCTIC será encerrada.  

 

Assessoria de Imprensa Fundação Lemann