Mesmo com denúncias, violência doméstica ainda é crescente em Parintins

Noticia Atualizada em 14/07/2017
Mesmo com denúncias, violência doméstica ainda é crescente em Parintins
Fotos: Divulgação

Os casos de violência doméstica no município parintinense crescem a cada ano, segundo dados da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DCCIM). Todos os dias são registrados ocorrência de violência contra a mulher.

 

O índice de crescimento iniciou em 2007 quando a delegada Ana Denise Machado junto aos movimentos de mulheres começou a incentivar as mulheres a denunciarem todas as formas de violência contra elas no seio familiar.

 

Nesse ano, foram registradas 880 ocorrências na delegacia de proteção a mulher. Em 2008 foram 1.100, 2009 (1.800), 2010 (1.901) e 2011 (1.868).

 

Os números abaixo representam somente agressões físicas e moral contra mulheres.  

2011 – 580 – Incompleto

2012 – 730 – Completo

2013 – 266 – Incompleto

2014 – 827 – Completo

2015 – 467 – Incompleto

2016 – 705 – Completo

 

A cada ano inúmeros inquéritos são abertos e alguns dos acusados quando flagranteados são encaminhados ao presídio público. A violência doméstica que se manifesta de várias formas como: agressão física, abuso sexual, violação e ameaças. Além disso, pode incluir críticas destrutivas, pressão, falta de respeito, quebra de confiança, isolamento e perseguição.

 

Alguns agressores ou abusadores oferecem recompensas com certas condições para tentarem convencer o parceiro de que a violência ou abuso não voltará a acontecer. Por mais convincentes que pareçam os agressores, a violência normalmente piora com o passar do tempo.

 

Fernando Cardoso | Repórter Parintins