Josué Neto presta contas dos seus quatro anos de gestão à frente da Aleam

Noticia Atualizada em 03/02/2017
Josué Neto presta contas  dos seus quatro anos de gestão à frente da Aleam
Foto: Assessoria

Nesta quarta-feira (01), o deputado estadual Josué Neto (PSD) transferiu a presidência da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) para o deputado David Almeida (PSD), que comandará o Parlamento no biênio 2017-2018. Josué Neto, que continua membro da Mesa Diretora, assumiu a 3ª vice-presidência da Casa e disse que encerra sua gestão “com o sentimento de dever cumprido”.

 

“Tenho muita honra e sentimento de dever cumprido quando encerro esse mandato como presidente do Poder Legislativo do Amazonas e tenho a felicidade de transferir o cargo para o meu amigo deputado David Almeida. Durante esses quatro anos trabalhamos para construir uma aproximação com a sociedade e expandir as atividades da Assembleia e tenho certeza que com o deputado David Almeida esse caminho será ampliado”, afirmou.

 

No seu discurso em Plenário, Josué Neto disse que apesar das dificuldades financeiras que o Parlamento enfrentou nos últimos dois anos, buscou fazer a melhor administração no sentindo de manter as contas em equilíbrio sem comprometer as atividades legislativas, e os pagamentos aos servidores. Segundo ele, a Aleam teve uma frustração orçamentária de R$ 39 milhões no orçamento de 2016.

 

O deputado ainda fez agradecimentos aos deputados, diretores, funcionários, e chefes dos demais Poderes como o Judiciário e o Executivo, pela compreensão, apoios e parcerias empreendidas em toda a sua gestão.

 

Josué Neto assumiu a presidência pela primeira vez em 2013, sendo reeleito, e assumindo pela segunda vez em 2015. Entre as medidas que marcaram a sua gestão estão o aumento real de 10% do salário dos servidores, em 2013, e a revisão das gratificações, além do esforço concentrado para votação de projetos antigos que tramitavam no Parlamento, entre eles o que extinguiu o 14º e 15º salários dos deputados, mais conhecido como auxílio paletó. Além do regime de contenção de gastos, adotado a partir de 2015, que viabilizou uma economia de R$ 19 milhões e permitiu que o Aleam honrasse com seus compromissos financeiros.