IML de Manaus libera mais 16 corpos de presos mortos em confronto

Noticia Atualizada em 06/01/2017
IML de Manaus libera mais 16 corpos de presos mortos em confronto
FOTO: JOEL ARTHUS/SECOM

O Instituto Médico Legal (IML) divulgou nesta quinta-feira (5) novo balanço da liberação dos corpos dos presos mortos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). Mais 16 corpos foram liberados para as famílias, totalizando 34 corpos liberados.

 

O trabalho feito pelos peritos, auxiliares e servidores do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) já permitiu a identificação de 46 corpos.

 

Nesta quinta-feira foram liberados os corpos de: Luiz Otávio Sampaio de Almeida, José Aldinei da Silva Leal, Paulo César Silva Guimarães Filho, Kayro Silva de Souza, Erick Queiroz da Silva, Robson Souza da Costa, Alex Almeida da Silva, Willamys Silva de Souza, Machel Bruno de Souza Barros, Manoel Freitas Barros, Huederson Paulino de Melo, Antony Aguiar Muniz, Antônio Correia  Muniz Neto, Francinaldo Ferreira Santana, Linekim Marinho de Silva e Lenilson Carlos Calixto Pires.

 

Para a reconhecimento dos corpos, o IML segue padrões internacionais de identificação de vítimas. Dentre as metodologias cientificamente reconhecidas e utilizadas estão: papiloscopia forense (identificação por impressão digital), odontologia legal e Exame de Genética Forense (DNA). O exame de DNA foi realizado em 55 corpos.

 

O diretor do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) da SSP-AM, Jefferson Mendes, destacou o trabalho dos dos servidores do Sistema de Segurança, na identificação dos mortos. “Esse trabalho é muito sério e preciso, só liberamos um corpo mediante 100% de comprovação da identidade. Essa é uma das melhores equipes do País e temos insumos necessários para identificação de todos. A equipe tem se dedicado bastante nessa missão”, afirmou.

 

Familiares dos presos mortos estão recebendo apoio e auxilio de psicólogos e assistentes sociais, com atendimento em um núcleo direcionado para serviços de informações e acolhimento, por meio de parceria entre DPTC, Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) e Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).