Desprezo com a educação

Noticia Atualizada em 11/07/2016

O descaso com a educação pública por parte da administração municipal de Parintins beira o absurdo e deixou de ser uma questão de preocupação somente de pais de alunos, principalmente da zona rural do município, e passou a ser considerado caso de polícia e da justiça. Para se ter uma ideia do prejuízo causado com a interrupção das atividades letivas por falta do transporte escolar, somente no assentamento de Vila Amazônia, cerca de 5 mil alunos, entre as primeiras séries do ensino fundamental, ensino tecnológico e educação de jovens e adultos, tiveram o ano letivo comprometido.


Nessa região que abrange mais de 15 comunidades interligadas por estradas o único meio para os alunos chagarem até a escola são os ônibus contratados com recursos provenientes de rubricas próprio, como do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE). Entretanto o serviço está paralisado devido a falta de combustível para os veículos e até mesmo por falta de pagamentos dos transportadores.


Com tanta falta de atenção e um total desprezo com as crianças da zona rural, não é a toa que o Ministério Público do Estado (MP-AM), Comarca de Parintins entrou com uma Ação Civil Pública contra a Prefeitura Municipal de Parintins para a retomada do transporte escolar. Pela ação do MP até mesmo a contratação da empresa M. R. da S. Vieitas, responsável pelo transporte escolar será objeto de investigação.


Com as peças de depoimentos de comunitários e um vasto relato de constatação do próprio MP-AM de Parintins sobre a falta de transporte escolar na Vila Amazônia, agora cabe ao Poder Judiciário de Parintins tomar as medidas cabíveis para reestabelecer as atividades em sala de aula no interior.