Ameaça ao festival

Noticia Atualizada em 02/05/2016

A possiblidade iminente na redução de três para duas noites do Festival Folclórico de Parintins, a partir de 2016, levou os artistas, coordenadores da Comissão, Conselho de Artes e diretores dos bumbás a mostrarem sua indignação.

 

A proposta, que teria partido do próprio Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (SEC), pode prejudicar não somente as apresentações de Garantido e Caprichoso, como preocupar os comerciantes, empresários e agentes públicos ligados ao trade turístico do município.

 

Não se trata de uma informação pessimista e sim do resultado da iniciativa em reduzir os recursos financeiros do Estado para o festival folclórico. Com o corte em 50% do convênio entre os bumbás Caprichoso, Garantido e a Secretaria de Estado da Cultura (SEC), a exuberância do espetáculo fica comprometida, uma vez que esse recurso é destinado para a produção artística de cada bumbá.

 

A inquietação entre os parintinenses e principalmente entre os integrantes das entidades folclóricas, não se restringe somente à redução em 50% do patrocínio da SEC, mas também a um provável corte de uma noite de apresentação na arena do Bumbódromo, o que desestimularia a vinda de turistas, e consequentemente a redução de receita para o comércio local.

 

Uma manifestação popular que se tornou a identidade cultural do Amazonas não pode retroceder. Com toda a pujança do espetáculo, os dirigentes do bumbás não podem ficar de “pires na mão” e nem sob ameaça de redução de recursos ou de uma das noites da festa. Cabe ao governador José Melo a sensibilidade com o povo de Parintins.